Capítulo #251: Fujitora

"Oh?"

Ouvindo isso, os olhos de Roja brilharam um pouco, mas ele respondeu calmamente. "Ok, entendido."

Havia muitas coisas após Roja ter se tornado um Almirante que o irritava. Havia muitas coisas para ele tratar, ele também precisava visitar Marijois frequentemente.

Quando Garp repetidamente recusou a promoção, por um lado, ele estava evitando ter que assumir responsabilidades e por outro lado, ele achava chato ter que lidar com tantos assuntos.

Roja e Garp tinham a mesma mentalidade.

Embora Roja estivesse preparado há muito tempo para assumir a responsabilidade após ter se tornado um Almirante, ele ainda estava incomodado com isso. No entanto, Roja não ficou na sede. Havia muitas coisas que pessoas normais não podiam lidar, então um Almirante tinha que agir.

Roja dava a maior parte dos documentos relatados para seu assessor fazer. E as coisas que um Almirante deveria lidar, eram dadas para Aokiji e Sengoku.

Roja não se importava muito com o que Sengoku falava. Além disso, Sengoku achava irritante Roja o desobedecer, mas ele não se importava em ajudar.

"Se eu puder recrutar Fujitora, todos esses assuntos a ser tratados serão jogados para ele. Isso seria muito bom."

Roja colocou a mão no queixo enquanto pensava, depois de ficar mais forte, ele não queria gerenciar as coisas, ele precisava ser o Rei da Marinha, não seu comandante.

No ponto de vista de Roja, Aokiji era o melhor para gerenciar, até mesmo Fujitora era bom.

Hancock se apoiou em Roja com as bochechas coradas e sussurrou.

"O que é?"

"Nada, apenas algo pequeno."

Roja balançou a cabeça e esqueceu sobre esse assunto. Ele sorriu para Hancock e disse. "Devemos tratar dos nossos assuntos primeiro."

Hancock viu a expressão de Roja e de repente seu coração entrou em pânico. "Que assunto é esse?"

"Esse."

Roja sorriu e de repente abaixou a cabeça e gentilmente beijou seus lábios.

Oh!

A mente de Hancock ficou em branco, ela não sabia o que aconteceu ou onde estava.

Em uma ilha desconhecida de tamanho médio que era cheia de hotéis e pessoas.

Um homem de meia-idade estava vestido com um casaco normal dentro de um casino. Ele estava em frente a uma mesa de roleta com os olhos fechados. Ele tinha muitas fichas à sua frente, pois parecia ter ganho muito.

Ao lado desse homem, uma multidão imensa estava reunida. Estavam todos olhando para ele enquanto sorriam. Eles estavam esperando ele fazer sua aposta.

Porque ele ganhou mais de dez vezes consecutivas.

"Aposto no branco…"

O homem de meia-idade, lentamente, pegou uma pilha de fichas e empurrou-as ligeiramente para a frente enquanto abriu os olhos.

Seus olhos eram extremamente assustadores, não havia pupila, apenas o branco de seus olhos apareceu, em seu rosto, havia duas cicatrizes óbvias em seus olhos.

Ele era cego.

Não havia dúvidas de que esse homem era Fujitora da história original, ele era o homem que substituiu Aokiji após a guerra.

Ainda não se chamava Fujitora, pois era seu codinome na Marinha, seu nome era Issho.

Ninguém podia pensar que esse homem vestido de modo simples que estava nesse casino poderia ser um Almirante no futuro.

"Branco!"

"Eu também aposto no branco!"

"Eu também!"

Assim que viram Fujitora fazer a sua aposta, um grande grupo de pessoas fez a mesma aposta que ele.

A pessoa responsável por esta roleta viu essa cena e, de repente, a testa dele estava cheia de suor frio.

Ele rangeu os dentes e rodou a roleta.

Após a roleta girar, ela finalmente parou em um certo número com a cor sendo branca.

"Branco!"

"Realmente é o branco!"

"HEEEEY!!!"

O jogador ao lado de Fujitora estava animado. O som ressoou por todo o casino, fazendo inúmeras pessoas lançarem olhares estranhos para eles.

A pessoa responsável ficou parado com as pernas tremendo.

"Poderoso."

Neste momento, uma voz foi ouvida.

Sem ninguém perceber, um jovem de vinte anos com um rosto bonito e gentil apareceu.

Era Roja que apareceu com roupas normais.

O surgimento de Roja trouxe muitos olhares estranhos dos jogadores. Mas após olharem um pouco, perderam o interesse, pois embora Roja parecesse um comerciante rico, ele não tinha nada a ver com eles.

Apenas esse homem de meia-idade podia ajudá-los a ganhar dinheiro estava relacionado com eles.

"Hehehehe..."

Fujitora tocou seu queixo e mostrou um sorriso pacífico. Embora ele fosse um homem cego, ele ainda virou sua cabeça exatamente para onde Roja estava.

"É só sorte, não sou nada comparado contigo. Orgulho-me de ser elogiado por você."

"Poderoso!"

Os olhos de Roja brilharam ligeiramente, mas ele sorriu e repetiu a mesma palavra.

Embora ele tenha dito a mesma palavra, o significado era completamente diferente.

Fujitora sentou-se lá e sorriu novamente para Roja, então virou a cabeça para a roleta novamente enquanto parecia pensar em sua próxima aposta.

O encarregado das apostas pagou a aposta de Fujitora. Fujitora continuou apostando, fazendo o encarregado das apostas suar frio.

Neste momento, muitas pessoas vestidas de preto apareceram de repente de dentro do casino. Pareciam ser os guardas do casino. Alguns seguravam espadas e outros seguravam armas enquanto caminhavam.

"Hey! Todos vocês devem sair!"

Um dos guardas disse friamente enquanto olhava para os jogadores presentes.

Depois de verem as espadas e as armas, engoliram suas salivas e fugiram sem mesmo levar as fichas.

Mais importante do que o dinheiro era, claro, as suas vidas.

Rapidamente, apenas Fujitora e Roja permaneceram ao lado da mesa.

Vendo que Roja não saiu, um dos guardas estava pronto para avançar e atacar, mas o chefe do cassino franziu um pouco a testa e parou os guardas enquanto balançava a cabeça.

A aparência e o temperamento de Roja não eram comuns. Obviamente, ele não era uma pessoa normal. Mesmo que fossem aristocratas, não deviam fazer nada a um nobre.

De qualquer forma, não estavam lidando com Roja, mas com o cego ali.

keyboard_arrow_left Anterior
Você pode usar o atalho Ctrl+ ou Ctrl+ para navegar entre os capítulos

Olá, deixe seu comentário sobre o capítulo Fujitora

Enviando Comentário Fechar :/