Capítulo #46: A Ameaça. (1)

— Yeah, estou relaxada agora. Por favor, faça isso, Oppa...

Só então sua agitação diminuiu, mas apenas um pouquinho. Ainda era um pouco incômodo... mas era de fato um enorme progresso se comparado a toda aquela “tremedeira” de antes.

— Aqui vamos nós.

— Okay. Oh, eu quero em formato de flor... Euk!

Quando o instrumento tocou na parte de trás de seu ombro, uma sensação fria subiu por sua pele e chegou até seu cérebro. Ela ficou tão surpresa que seu corpo congelou naquele momento.

Porém, para Sae Jin, isso foi bem bom. Ele logo usou a calma em seu movimento para desenhar no ombro branco como se fosse um papel de desenho.

A cor escolhida era muito parecida com a de sua pele. Seria difícil identificar a imagem se não fosse bem de perto, e a cor se misturou tão bem, que as pessoas seriam incapazes de descobrir se era ou não uma tatuagem.

Contanto que não estivesse usando Mana, seria assim. Se usasse sua Mana durante uma batalha ou outra coisa, a área tatuada ficaria iluminada de azul e acabaria bem visível. Era por isso que a forma da tatuagem tinha que ser considerada com bastante cuidado.

— Prontinho.

— ... Eh?

Tendo seu Nível de Proficiência aumentado um pouco, a habilidade de Artesanato do Goblin se provou bem excepcional. Mesmo com efeitos bem fracos, já que estava em Forma Humana, o processo levou apenas três minutos para ser concluído.

— Já terminou?

— Yeah. Mas a coisa é que... — ... Agora vai começar a doer. — As últimas palavras não saíram, ficando apenas em sua mente.

— Keuk!! — Pouco antes de dizer qualquer coisa, Yu Sae Jung deixou um gemido escapar.

De imediato, ela se agachou segurando o peito, e por já saber que isso aconteceria, Sae Jin se moveu bem rápido para apoiá-la e deitou-a no sofá.

Nos dez minutos seguintes, como se fosse um filhotinho doente, ela só pôde sofrer com uma agonia silenciosa, incapaz de expressar qualquer reclamação.

Somente quando a dor diminuiu de um nível agonizante para algo parecido a uma dor muscular, Yu Sae Jung lhe lançou um olhar de ressentimento, cheio de lágrimas.

— ... Você disse que não ia... doer. Porque mentiu para mim?!

— Foi mal. — Kim Sae Jin sorriu sem jeito e coçou a nuca.

Mesmo assim, ela continuou brava, seus lábios fazendo beicinho e seus olhos olhando para ele sem parar; mas assim que sentiu a mudança em seu corpo, sua expressão mudou. Seus olhos apertados se abriram—e seu queixo despencou.

A pessoa afetada pela mudança poderia sentir melhor do que qualquer outra. E, para não esquecer, a Pedra de Mana usada como ingrediente base também era de qualidade boa.

Então, apesar de sua Tatuagem Mágica estar apenas no nível de habilidade D, já que os ingredientes usados foram muito bons, ela devia ser capaz de sentir os efeitos muito bem.

— Wow. — A primeira coisa que escapou de sua boca, já aberta, foi uma pequena exclamação de surpresa.

— Então, o que achou?

— Uh... — Ela não conseguiu formar uma resposta adequada para essa pergunta e continuou segurando os punhos por um longo tempo.

Sae Jung estava, atualmente, tentando descobrir se sua reserva de Mana tinha aumentado, não sabia se era um sonho ou não. E, para aceitar isso como uma realidade, precisou de mais cinco minutos.

— W-wooooow!! Oppa, o que é isso?! — Por fim. Só agora, Yu Sae Jung pôde, de fato, confirmar que sua Mana tinha aumentado, mas só depois de verificar sua própria janela de características.

Esse foi apenas o começo da loucura. Kim Sae Jin nunca, jamais, testemunhou uma expressão de sentimentos tão violenta, tão intensa.

Saltando por todo lugar, com uma felicidade ilimitada, ela de repente tentou se aproximar e agarrar seu colarinho, como se quisesse saber o que diabos tinha acontecido. Só assim, depois de tudo, desmoronando e desmaiando enquanto sofria com os efeitos posteriores do aumento de Mana.

— ...

Sae Jin riu um pouco e, depois de pegar o telefone dela, ligou para o mordomo. Se fosse possível, ele a deixaria dormindo ali mesmo, mas... bem, a situação não permitia tal coisa.

 

*   *   *

 

O Alquimista Goblin e o Ferreiro Orc. Esses dois causaram uma aparentemente insignificante onda de choque na sociedade como um todo, mas, na verdade, isso foi tremendo.

Em primeiro lugar, o Ferreiro Orc. Sua existência trouxe esperança para todos os Cavaleiros por aí.

O motivo disso foi sua promessa chocante de que produziria duas armas por mês. Isso foi mantido para valer e duas armas encontravam o caminho para as mãos de seus donos todo mês. No SNS, em reportagens, artigos e nos próprios Cavaleiros, todos que viam os produtos com os próprios olhos ficavam surpresos com a qualidade. Eles poderiam passar por cima dos de Qualidade Alta sem problemas.

A maioria dos artesãos e mestres conseguia produzir no máximo um item por ano. Então, era como se o Ferreiro Orc estivesse batendo na cabeça de todos os Cavaleiros que esperavam ver, no máximo, itens de Qualidade Intermediária Superior, já que existia esse compromisso de fornecer duas armas mensais.

E também havia o Alquimista Goblin. Graças a ele, a seca de poções que afogava os Cavaleiros e o mundo da alquimia na ansiedade chegou ao fim. Motivados pela chegada do Goblin, os alquimistas parados começaram a fornecer cada vez mais poções ao mercado.

E foi assim que as missões de caça a Monstros pararam de representar um risco tão grande aos Cavaleiros. Infelizmente, essa perspectiva positiva se aplicava apenas às raças que viviam de modo pacífico.

E a corrida estava frenética, desencadeada pelos dois gênios inigualáveis.

— Os Nagas se afundaram nas profundezas do oceano enquanto a Raça Demoníaca está vivendo uma vida infernal, presa na fronteira entre os mundos. Sério... são, de fato, eventos lamentáveis.

A base de operações dos Vampiros ficava, curiosamente, bem ao lado da porta da civilização. De fato, eles ocupavam vários edifícios ao redor da cidade de Seoul, um deles era chamado de “Grou Leon”, localizado nos arredores de Gangbuk.

Os Vampiros não optaram por possuir este edifício por causa daquela história de ficar “longe dos olhares”, mas sim por ser de interesse comercial. Isso mesmo—para continuar vivendo neste mundo capitalista, até mesmo os Vampiros precisavam de empregos.

— E é assim que acabamos por ser a única raça que sobrou do nosso antigo mundo natal. Oh, irmãos, nós estamos...

— Pode calar a boca? O que vão fazer se o Lican perceber a nossa presença?

Um outro ponto importante que separava os Vampiros do resto do mundo—além do fato de que, claro, tinham que beber sangue—era sua estrita adesão a um sistema de castas. Um sistema hierárquico absoluto nas linhagens, por acaso isso tinha alguma relação com a Peculiaridade específica da raça dos Vampiros. Para esses caras, talento não era uma coisa inútil que se conseguia por sorte, independentemente das linhagens herdadas. Não, a grandeza de uma pessoa era definida pelo sangue correndo em suas veias.

Por isso, um garoto, no começo de sua adolescência, podia falar de modo rude com um homem velho que já tinha a cabeça cheia de cabelos brancos.

— Keheum. Hu-uh... Como eu disse antes, não precisa se preocupar tanto.

— De forma alguma. Estou preocupado e curioso também. Quero saber como diabos um Lican sanguinário nos encontrou. Aquela primeira geração de Soo-ins... brigaram com humanos e se tornaram ameaças insignificantes. Agora eles não podem nos detectar, não é?

Eles pensaram que, com o fim da primeira geração dos Soo-ins, não havia mais nenhuma raça que poderia detectá-los. E foi assim que incontáveis Vampiros se misturaram com os humanos normais e, sem dúvidas, se tornariam a base sólida para a realização de um enorme esquema que estava sendo bolado.

Mas esse processo só durou até que o “Mercenário Lican” aparecesse. Ele, que aparentemente havia aparecido igual a um asteroide, surgiu do nada. Cinco Vampiros já tinham perdido suas vidas para esse sujeito, e todos eram companheiros importantes para o grande esquema.

Os Anciãos, ameaçados pela existência deste Lican, começaram a apressar o plano, que ainda não estava pronto, e a operação grosseira não poderia deixar para trás qualquer tipo de dano duradouro ao mundo dos homens. E, assim... os Vampiros começaram a pensar que a razão para todos seus erros era por causa desse Mercenário lendário, o Lican.

— Isso... ninguém, absolutamente ninguém sabe.

— Que sorte podre nós temos. Só queremos voltar ao nosso mundo natal, mas os obstáculos continuam aparecendo.

O mundo natal. O lugar em que viviam antes de irem para a Terra. Quando o fim de seu mundo se tornou iminente, com um Apocalipse, seus habitantes decidiram migrar para outro mundo, a Terra.

— Talvez os Anões estivessem certos quando disseram que deveríamos morrer em casa, ao invés de procurarmos outro mundo.

— ... Não, não estavam. Os Anões morreram com nosso mundo, mas é possível voltarmos a um mundo vivo.

— Por que diabos temos de voltar? Todo mundo por lá já morreu.

— Eu já te expliquei... Fuuu.

No momento em que os Vampiros vieram para a Terra—há quarenta anos—passaram a pesquisar sobre Fissuras, as lacunas que existem entre mundos ou dimensões.

Quando uma Fissura era aberta ao máximo, um único evento poderia ocorrer. Uma lenda claramente registrada nos anais do Tomo Antigo, a Reversão do Eixo Tempo.

Os Vampiros queriam entrar nas profundezas de uma Fissura e retornar ao seu mundo natal. E, talvez, evitariam o advento do Apocalipse...

— ... Será que vai funcionar? Se tudo der errado, não poderemos mais ficar aqui também, sabe?

— Claro que vai funcionar. Nosso sábio Lorde, Rutekan, já disse. Você está duvidando de sua sabedoria milenar?

— ... Não é assim. Estou perguntando por estar curioso. Mesmo tendo dúvidas, no final, vou seguir os comandos de nosso Lorde e dos Anciões, então não precisa se preocupar. — O garoto respondeu com uma expressão indiferente.

— ... Esse é o modo certo de pensar. Como esperado de um puro sangue da nobreza. — O velho deu um tapinha na cabeça do jovem, mostrando um sorriso satisfeito. — Bem, então... Vamos começar com nosso plano, a Fissura da Água Profunda. Vamos arrastá-la para o mundo.

 

*   *   *

 

— Sim. Tenho uma placa aqui comigo. Mas, uh... o que é esse boneco? Ele é pequeno e fofinho, tão adorável...

— Oh, isso? Por favor, mantenha-o em um local visível. Pode parecer pouco, mas com seu efeito especial, se estiver perto de você vai ajudar a vender mais coisas. — Kim Sae Jin deu uma placa com as palavras “Afiliada à Associação, O Monstro” para a Casa de Alquimia Yoseon, isso foi um pedido de Hazeline. E ele também deu um boneco para ela, no topo disso havia algo que podia muito bem ser um bebê Leviatã.

— Um efeito especial?

— Isso aí. E não é fofo? É apenas um bonequinho, mas não é bem atraente? É desse efeito especial que estou falando. — Havia um atributo especial adicionado a esse boneco de olhos brilhantes, ele se adequaria perfeitamente a uma “loja”.

Sae Jin suspeitava que os lucros da Casa da Alquimia deveriam aumentar em pelo menos 3%, tudo graças ao atributo. Claro, ele já tinha colocado um desses tanto no balcão quanto no escritório do gerente da Forja do Orc.

— Ah~é um mascote, né? O mascote da Trilogia é um tigre, certo? O nosso é muito mais fofo.

— ... Eh? Sim. Bem... é melhor ser bonitinho e fofo do que cruel e sanguinário, não é? E se essa criatura lutar com um tigre com certeza vai ganhar, mesmo com as mãos amarradas. — Ele estava sendo sincero. Se ambos fossem tratados como criaturas reais e desenvolvidas, então, mesmo se fosse um Grande Tigre, ou melhor, um Grande Tigre Dentes-de-Sabre, ainda iria voando para um abismo com um único golpe.

— Fuhut. Não sei nem o que dizer sobre isso. Você está realmente se sentindo o máximo, hein?

— ... Haha. Mas não estou brincando. Ah, se você quiser mais algum é só falar. Vou enviar para você, também seria bom ter um em sua casa.

— Obrigada. Então, por favor, mande mais um. Gostei do cheiro disso, então quero um em casa.

Ele respondeu que tinha entendido e desligou o telefone antes de voltar sua atenção para a televisão. Estava no meio da transmissão do Duelo de Cavaleiros.

E, atualmente, era um confronto entre a Ordem de Cavaleiros Alvorada e Goryeo. Representando a Alvorada estava Yu Sae Jung, enquanto uma Cavaleira chamada Jung Eun Ji estava representando a Goryeo.

Pareciam ter algo tipo uma rivalidade, ao menos era o que as legendas da tela mostravam. Mas, infelizmente...

Sae Jung vai ganhar fácil.

A quantia de Mana era incrivelmente importante para um Cavaleiro—a ponto de você poder dizer que, junto com a Força Mágica, poderia ser chamada de fator crucial para decidir o vencedor ou perdedor.

— Comecem!!

O duelo começou; Mana se manifestou e envolveu o corpo de Yu Sae Jung. A câmera mostrou seu corpo infundido em Mana azul, finalmente se concentrando em suas costas.

... E agora todos saberão.

Nas costas dela, justo em seu ombro direito, uma única e bela flor podia ser vista florescendo em uma cor azul. Chamar isso de “completamente belo” fazia sentido. As câmeras aparentemente não queriam focar em nada mais.

 

Notas do Capítulo:

Avaliação e Análises: Se você realmente está gostando de A Monster Who Levels Up, por favor, considere dar 5 estrelas na Central Novels: Central Novel

keyboard_arrow_left Anterior Próximo keyboard_arrow_right
Você pode usar o atalho Ctrl+ ou Ctrl+ para navegar entre os capítulos

Olá, deixe seu comentário sobre o capítulo A Ameaça. (1)

Já temos 1 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Gugulim 738

Gugulim 738

★★★★★DIA 30.09.18 16h24RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/